Perfil nutricional de paciente com hipóxia: relato de caso

Claudia Ferreira da Costa, Larissa Beatrice Granciero Barbosa

Resumo


Relatou-se perfil nutricional de paciente com diagnóstico de hipóxia em home care. Paciente do sexo feminino, 49 anos, com história pregressa sem patologias, ingeriu osso de galinha almoçando em restaurante, apresentando dificuldade para engolir se agravando por dias. Com indicação médica, foi submetida à cirurgia endoscópica, tendo ocorrido intercorrências durante o procedimento, ocorreu quadro de hipóxia depois de parada cardíaca e convulsões, ocasionando três lesões no cérebro identificadas por exame de eletroencefalograma. Paciente após quatro meses na UTI foi encaminhada para home care, onde se encontra a menos de um mês ainda inconsciente, instável e sendo alimentada por SNE (sonda nasoenteral). Dentre algumas metodologias a ASG (avaliação subjetiva global) foi a que mais foi eficiente e prática em vários estudos para detecção da desnutrição que é o maior inimigo dos pacientes hospitalizados.

 


Palavras-chave


Nutrição em saúde pública; Hipóxia; Estudos de Casos.

Referências


Ribeiro LMK, Filho RSO, Lima LC, Azevedo P, Damasceno NRT, Soriano FG. Adequação dos balanços energético e proteico na nutrição por via enteral em terapia intensiva: quais são os fatores limitantes? Rev. Bras. Ter. intensiva 2014;26(2):155-62.

Borghi R, Meale MMS, Gouveia MAP, França JIDF, Damião AOMC. Perfil nutricional de pacientes internados no Brasil: análise de 19.222 pacientes (Estudo BRAINS). Rev Bras Nutr Clin 2013;28(4):255-63.

Santos EA, Camargo RN, Paulo AZ. Análise comparativa de fórmulas de estimativa de peso e altura para pacientes hospitalizados. Rev Bras Nutr Clin 2012; 27(4): 218-25.

Azank AT, Leandro-Merhi VA, Poliselli C, Oliveira MRM. Indicadores nutricionais em pacientes alimentados por sonda, em sistema de “Home Care” Arquivos Catarinenses de Medicina 2009;38(4):11-18.

Frisancho AR. Anthropometric standards for the assessment of growth and nutritional status. Michigan: University Michigan Press.1990. 189.

Waitzberg DL, Dias MCG. Guia Básico de Terapia Nutricional Manual de Boas Práticas. 2 ed. 2007.4-97.

Jebasingh D, Devavaram Jackson D, Venkataraman S, Adeghate E, Starling Emerald B. The protective effects of Cyperus rotundus on behavior and cognitive function in a rat model of hypoxia injury. Pharm Biol. 2014;52(12):1558-1569.

 Jesús M, Pérez-Nellar , Scherle C. Mecanismos fisiopatógicos en la muerte encefálica. Rev cubana med 2009;48(4): 204-212.

Leite PH. Nutrição na Insuficiência Respiratória Aguda. 1 vol. 2015.317-325.

Diestel CF, Rodrigues MG, Pinto FM, Rocha RM, Sá OS. Terapia nutricional no paciente crítico 2013;12(3):78-84.

Guidelines for use of parenteral and enteral nutrition in adult and pediatric patients. ASPEN Board of Directors J Parenter Enteral Nutr 2002; 26(Suppl1):1SA-138SA.

Oliveira LML, Rocha APC, Velho JMA da SP. Avaliação nutricional em pacientes hospitalizados: uma responsabilidade interdisciplinar saber científico 2008;1(1): 240 – 52.

Yamauti KA, Ochiai EM, Bifulco SP, Araújo MA, Alonso RR, Ribeiro RCH et al. Subjective global assessment of nutritional status in cardiac patients. Arq Bras Cardiol 2006;87(6):772-7.

Marcadenti A, Vencatto C, Boucinha ME, Leuch MP, Rabello R, Londero LG, et al. Desnutrição, tempo de internação e mortalidade em um hospital geral do Sul do Brasil. Revista Ciência & Saúde 2011;4 (1):7-13.

Padovani AR, Andrade CRF. Perfil funcional da deglutição em unidade de terapia intensiva clínica [Functional profile of swallowing in clinical intensive care]. 2007;5(4):358- 62.

Patine FS, Barboza DB, Pinto MH. Ensino do exame físico em uma escola de enfermagem. Arq Ciênc Saúde 2004; 11(2):2-8.

Freitas EP, Nass F, Sponchiado F. Processo de enfermagem: Uma perspectiva para melhorar a qualidade da assistência [monografia]. Florianópolis: Escola de Enfermagem da Universidade do Estado de Santa Catarina; 2008.

Santos N, Veiga P, Andrade R. Importância da anamnese e do exame físico para o cuidado do enfermeiro. Rev. Bras. Enfermagem 2011;64(2): 355-358.

Weimann A, Braga M, Harsanyi L, Laviano A, Ljungqvist O, Soeters P et al. ESPEN (European Society for Parenteral and Enteral Nutrition). ESPEN Guidelines on Enteral Nutrition: Surgery including organ transplantation. Clin Nutr. 2006;25:224-44.

Isidro M, Lima D . Adequação calórico-proteica da terapia nutricional enteral em pacientes cirúrgicos . Rev. Assoc. Med. Bras. 2012;58(5): 580-586.

Rhoney DH, Parker DJ Jr, Formea CM, Yap C, Coplin WM. Tolerability of bolus versus continuous gastric feeding in brain-injured patients. Neurol Res. 2002;24(6):613-20.  

Matthews DE, Heimansohn DA, Papaila JG, Lopez R, Vane DW, Grosfeld JL. The effect of increased intracranial pressure (ICP) on gastric motility. J Surg Res. 1988;45(1):60-5. 

Lucena AF, Tibúrcio RV, Vasconcelos GC, Ximenes JDA, Filho GC, Graça RV. Lesões cerebrais agudas e sua influência sobre a motilidade gastrintestinal . Rev. Bras. Ter. Intensiva 2011;23(1):96-103.

Härtl R, Gerber LM, Ni Q, Ghajar J. Effect of early nutrition on deaths due to severe traumatic brain injury. J Neurosurg. 2008;109(1):50-6.


Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Fator de Impacto ISI- International Scientific Indexing

JCR 0.852 (2017-2018)

JCR 1.021 (2018-2019)

JCR 1.254 (2019-2020)

Qualis CAPES: B4

Índice H: 15,0

Índice i10: 31,0

ISSN Online: 2179-0981 / ISSN Impresso: 2316-848X