Estado nutricional de um paciente idoso com infarto agudo do miocárdio internado para cirurgia de revascularização do miocárdio no período pré e pós-operatório

Anna Paula de Sousa Silva, Carla Larissa Cunha Sottomaior, Ramyne de Castro da Paz, Lorrany Fernandes Gomes, Melorie Kern Capovilla Sarubo Baptistell, Renata Costa Fortes

Resumo


O objetivo desse estudo foi avaliar o estado nutricional, bem como o risco nutricional de um paciente com infarto agudo do miocárdio internado para cirurgia de revascularização do miocárdio. Trata-se de um relato de caso clínico de um paciente idoso internado no Instituto de Cardiologia do Distrito Federal, em março de 2018, assistido nos períodos pré e pós-cirúrgico por meio da aplicação de métodos subjetivos e objetivos de avaliação nutricional. Observou-se presença de risco nutricional e/ou desnutrição, tanto no período pré quanto pós-operatório, por meio de todos os métodos de triagem nutricional utilizados (Triagem de Risco Nutricional ou Nutritional Risk Screening - NRS-2002; Instrumento Universal para Triagem de Desnutrição ou Malnutrition Universal Screening Tool – MUST; Mini Avaliação Nutricional na Versão Reduzida - MAN-FC ou Mini Nutritional Assessment Short Form - MNA-SF). A força de preensão palmar foi a medida antropométrica que apresentou redução no pós-operatório quando comparada aos valores iniciais (pré-operatório). A descrição deste caso chama a atenção para a necessidade de identificarmos precocemente o risco de desnutrição (ou a desnutrição) por meio da aplicação de protocolos capazes de avaliar as condições agudas e crônicas quando utilizados em conjunto.

 



Palavras-chave


Idoso; Infarto Agudo do Miocárdio; Desnutrição.

Referências


Bucholz, Emily M., Hannah A Krumholz, and Harlan M. Krumholz. Underweight, markers of cachexia, and mortality in acute myocardial infarction: a prospective cohort study of elderly medicare beneficiaries. PLoS Med. 2016;13(4):1-18.

Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde (DATASUS). Sistema de Informações sobre Mortalidade. Óbitos por residência por ano do óbito segundo capítulo CID‐10. Available at: http://www2.datasus.gov.br/DATASUS/index.php?area=060701. Accessed on: Jun. 20, 2018.

Boban, M.; Laviano, A.; Persic, V.; Biocina, B.; Petricevic, M.; Zekanovic, D.; Rotim, C., et al. A. Influence of transiently increased nutritional risk on a left ventricle myocardial mass assessed by echocardiography. Ann Nutr Metab. 2016; 68: 197–202.

Kondrup J, Allison SP, Elia M, Vellas B, Plauth M. ESPEN Guidelines for Nutrition Screening 2002. Clin Nutr. 2003; 22(4):415-21.

Nunes PP, Marshall NG. Triagem nutricional como instrumento preditor de desfechos clínicos em pacientes cirúrgicos. Com Ciênc Saúde. 2014;25(1):57-68.

Veras VS, Fortes RC. Prevalência de desnutrição ou risco nutricional em pacientes cirúrgicos hospitalizados. Comun ciênc Saúde. 2014; 25(2):157-172.

Todorovic V, Russell C, Stratton R, Ward J, Elia N. The ‘MUST’ Explanatory Booklet: A Guide to the ‘Mulnutrition Universal Screenung Tool’ (MUST) for Adults. Redditch: Malnutrition Advisory Group (MAG) Standing Committee of the British Association for Parenteral and Enteral Nutrition (BAPEN); 2003. Available at: . Accessed on: Jun. 25, 2018.

Duarte JP, Paludo J, Lemos JRN, Moreira TR. Variação na prevalência de risco nutricional em indivíduos hospitalizados conforme cinco protocolos de triagem nutricional. Sci med. 2014; 24(1):26-32.

Kaiser MJ, Bauer JM, Ramsch C, Uter W, Guigoz Y, Cederholm T, et al. Validation of the Mini Nutritional Assessment short-form (MNA®-SF): a practical tool for identification of nutritional status. J Nutr Health Aging. 2009;13(9):782-8.

Brasil. Ministério da Saúde. Orientações para coleta e análise de dados antropométricos em serviços de saúde: norma técnica do sistema de Vigilância Alimentar e Nutricional - SISVAN. Brasília: Ministério da Saúde, 2011. Available at: . Accessed on: Jun. 23, 2018.

Silva DMM, Santos CM, Moreira MA. Perfil nutricional de pacientes internados em um hospital público de Recife-PE. Dest Acad. 2016; 8(3): 97-108.

Frisancho AR. Anthropmetric standarts for the assessment of growth and nutrition status. Michigan: University of Michigan Press;1990.

Lipschitz DA. Screening for nutritional status in the elderly. Prim Care. 1994; 21(1):55-67.

Martinez BP, Ramos IR, Oliveira QC. Existe associação entre massa e força muscular esquelética em idosos hospitalizados? Rev Bras Geriatr Gerontol. 2016;19(2):257-64.

Gonçalves LB, Jesus NMT, Gonçalves MB et al. Preoperative Nutritional Status and Clinical Complications in the Postoperative Period of Cardiac Surgeries. Brazilian Journal of Cardiovascular Surgery. 2016;31(5):371-80.

Veras VS, Fortes RC. Prevalência de desnutrição ou risco nutricional em pacientes cirúrgicos hospitalizados. Comun ciênc Saúde. 2014;25(2):157-72.

Duarte JP, Paludo J, Lemos JRN, Moreira TR. Variação na prevalência de risco nutricional em indivíduos hospitalizados conforme cinco protocolos de triagem nutricional. Sci med. 2014;24(1):26-32.

Martinez BP, Ramos IR, Oliveira QC. Existe associação entre massa e força muscular esquelética em idosos hospitalizados? Rev. Bras. Geriatr. Gerontol. Rio de Janeiro. 2016;19(2):257-64.

Boban M, Laviano A, Persic V, Rotim A, Jovanovic Z, Vcev A: Characteristics of NRS-2002 nutritional risk screening in patients hospitalized for secondary cardiovascular prevention and rehabilitation. J Am Coll Nutr 2014;33: 466-73.

Ocha NP, Fortes RC. Contagem total de linfócitos e albumina sérica como preditores de risco nutricional em pacientes cirúrgicos. Arq bras cir dig. 2015;28(3): 193-6.

Paz RC, Silva APS, Sottomaior CLC, Gomes LF, Baptistella MKCS, Fortes RC. Sugestão de protocolo clínico para idosos cardiopatas assistidos pelo sistema único de saúde. Rev. Cient. Sena Aires. 2018;7(2): 88-94.


Texto completo: PDF PDF(ENG)

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN (Online): 2179-0981 / ISSN (Impresso): 2316-848X

Indexações: Públic Knowledge Project(PKP); LATINDEX; DOAJGoogle ScholarSumário.org;  CUIDENDIADORIMPortal Oasisbr; LA Referencia (Red de repositórios abiertos a la ciencia)RCCAP (Registros Científicos de Acesso Aberto de Portugal); e  REDIB(Red Iberoamericana de Innovación y Conocimiento Científico)