Construção do instrumento para avaliação da tolerância nas relações de amizade

Iel Marciano de Moraes Filho, Larissa F. de Carvalho, Luana E. Melo, Marcela R. Di Marcelo, Yashmim M. dos Santos, Margareth Regina Gomes Veríssimo de Fari

Resumo


O ser humano possui uma profunda necessidade de pertencimento, ou seja, de estabelecer vínculos com outras pessoas em relacionamentos que proporcionem interações positivas constantes.  O objetivo de o mesmo fora construir um instrumento para avaliação da tolerância nas relações de amizade e ainda, desvendar as características das relações interpessoais, especificamente em relação à tolerância nas amizades. Trata-se de um estudo de caráter metodológico, foi realizado no período de junho a dezembro de 2018. Para guiar a construção do Instrumento de Avaliação da tolerância nas relações de amizade ATRA, tipo likert os itens de avaliação foram construídos e apresentados. Os procedimentos para construção dos itens foram baseados nas orientações de França e Schelini (2014) na Análise semântica e evidências e Reppold, Gurgel e Hutz (2014) baseado no processo de construção de escalas psicométricas. Foram entrevistados 42 discentes da área da saúde da de uma Universidade Privada do estado de Goiás tendo predomínio do sexo feminino, as variáveis de maior relevância foram : “amizade é aceitar a outra pessoa do jeito que ela é” e  “e aceito os defeitos dos meus amigos, pois sei que também tenho defeitos”.  Concluísse que dificilmente as relações de amizade são desinteressadas ou altruístas. É comum que elas visem preencher necessidades emocionais, inclusive a necessidade de ser aceito.

Palavras-chave


Amizade; Desenvolvimento social; Afeto; Relações Humanas; Construtivismo.

Referências


Bukowski W, Hoza B, Boivin, M. Measuring friendship quality during pre- and early adolescence: The development and psychometric properties of the friendship qualities scale. Em: Journal of Social and Personal Relationships. 1994; 11(3): 471-484.

SOUZA LK, HUTZ CS. Relacionamentos pessoais e sociais: amizade em adultos. Psicol. estud. 2008; 13, n. (2): 257-265. Available from . access on 07 May 2019. http://dx.doi.org/10.1590/S1413-73722008000200008.

Argyle M. The Psychology of Happine.2. ed. C London: Routgled; 2001 https://doi.org/10.4324/9781315812212

BERTI E. A relação entre as formas de amizade segundo Aristóteles. Analytica. Revista de Filosofia, [S.l.]. 2013; 6(1): 23-44. Disponível em: . Acesso em: 07 maio 2019.

Fehr B. Friendship processes. 1. ed. London: Sage; 1996.

Erbolato RML. (2006). Relações sociais na velhice. In E. Viana Freitas (Org.). Tratado de geriatria e gerontolo

Mendelson MJ, Aboud FE. Measuring friendship quality in late adolescents and young adults: McGill Friendship Questionnaires. Canadian Journal of Behavioural Science / Revue canadienne des sciences du comportement. 1999; 31(2): 130-132. http://dx.doi.org/10.1037/h0087080

Reppold Caroline Tozzi, Gurgel Léia Gonçalves, Hutz Claudio Simon. O processo de construção de escalas psicométricas. Aval. psicol. [Internet]. 2014 Ago [citado 2019 Maio 07] ; 13( 2 ): 307-310. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1677-04712014000200018&lng=pt.

França Alex Bacadini, Schelini Patrícia Waltz. Análise semântica e evidências de validade da escala metacognitiva para idosos. Aval. psicol. [Internet]. 2014 Dez [citado 2019 Maio 09] ; 13( 3 ): 333-341. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1677-04712014000300005&lng=pt.

Antunes João Lobo. “Da Amizade”. Rev. Port. Cir. [Internet]. 2013 Jun [citado 2019 Maio 07] ; ( 25 ): 31-34. Disponível em: http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1646-69182013000200005&lng=pt.

Myers DG. Psicologia Social. 10. ed. Porto Alegre: Amgh; 2014.

Myers DG. (2000). The funds, friends, and faith of happy people. American Psychologist. 2000; 55 (1): 56-67.

Gikovate F. Como aceitar as diferenças [texto na Internet];2018; [citado 2019 maio 7]. Disponível em: http://flaviogikovate.com.br/como- aceitar-as-diferencas/

Borsa JC. (2013). O papel da amizade ao longo do ciclo vital. Psico-USF.2013; 18(1):161-162.


Texto completo: PDF PDF(ENG)

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Fator de Impacto ISI- International Scientific Indexing

JCR 0.852 (2017)/ JCR 1.021 (2018)

Qualis CAPES: B4

Índice H: 9,0

ISSN Online: 2179-0981 / ISSN Impresso: 2316-848X