Atuação da Farmácia Clínica e Hospitalar no Gerenciamento do Uso de Antimicrobianos em Hospital Público do DF

Karina Cunha dos Santos, Marcelo Joaquim Barbosa, Willanda Niek Melo da Silva Araújo, Vanessa de Vasconcelos Sena, Quênia Teixeira de Souza

Resumo


Objetivo: Definir fluxos de trabalho multidisciplinares para padronização do serviço. Definição do elenco de medicamentos a ser monitorado e estudar resultados preliminares. Métodos: Criação de grupo de trabalho e tabulação dos dados em planilhas Excel ® com as principais intervenções executadas em fevereiro/2019. Resultados: Observou-se que 35% dos tratamentos foram mantidos conforme prescrição inicial. 18% tiveram a duração de tratamento reduzida e 9% não foram autorizados pela CCIH devido a inconformidades. Também foi feita a correção de dose para função renal em 8% das prescrições. Calculou-se o valor do tratamento/dia para cada antimicrobiano. As intervenções descritas representam uma economia direta de R$ 1905,08 reais. Não foram contabilizadas as despesas com materiais médico-hospitalares, transporte/logística e recursos humanos. O percentual de intervenções da farmácia clinica ocorre principalmente na etapa de prescrição devido ao rastreio pela dose individualizada. Também foram realizadas intervenções nas etapas de preparo, diluição e estabilidade. Reações adversas foram detectadas, notificadas e monitoradas devido a necessidade de manejo clínico. Conclusões: Este trabalho demonstra a economia financeira gerada pela atuação da equipe multidisciplinar e também reforça a necessidade de ampliação dos serviços farmacêuticos clínicos e logísticos, já que o trabalho no controle de dispensação individualizado associado a intervenções clínicas são mais eficazes. A complexidade do processo exige monitorização interdisciplinar em todas as etapas do tratamento visando a segurança do paciente.


Palavras-chave


Antimicrobianos; Gerenciamento; Intervenção Farmacêutica.

Referências


Wannmacher L. Uso indiscriminado de antibióticos e resistência microbiana: Uma guerra perdida? , Uso racional de Medicamentos: temas selecionados. ANVISA.2004; 1(4): 1-6.

Brasil. Nota técnica n° 01/2018. Orientações para o gerenciamento do uso de antimicrobianos em serviços de saúde. Gerência de Risco em Serviços de Saúde. Distrito Federal: Secretaria do Estado Saúde; 2018.

– Capucho HC, Cassiani SHB. Necessidade de implantar programa nacional de segurança do paciente no Brasil, Prática de Saúde Pública. Rev. Saúde Pública. 2013; 47 (4): 791-8. Doi: https://doi.org/10.1590/S0034-8910.2013047004402

- Silva EU. Silva EU. A importância de controle da prescrição de antimicrobioanos da prescrição de antimicrobianos em hospitais para melhoria da qualidade, redução de custos e controle da resistência bacteriana. Pratica Hospitalar. 2008; 10(57): 101-6.


Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.



Fator de Impacto ISI- International Scientific Indexing

JCR 0.852 (2017)/ JCR 1.021 (2018)

Qualis CAPES: B4

ISSN Online: 2179-0981 / ISSN Impresso: 2316-848X