Bioprospecção no cerrado: fitoquímica foliar de Justicia Nodicaulis (Nees) Leonard (Acanthaceae) ocorrente em cerrado goiano

Jordana Gomes Rocha, Josana de Castro Peixoto, Thaynara Lima dos Santos

Resumo


O gênero Justicia L. pode ser considerado o maior gênero de Acanthaceae, com cerca de 600 espécies. No gênero Justicia são relatados a presença de lignanas, flavanóides, terpenóides e alcaloides, que possuem grande importância na farmacologia. Neste estudo, o objetivo consistiu em observar e registrar as principais classes de metabólitos secundários das estruturas foliares da espécie Justicia nodicaulis (Nees) Leonard, ocorrente na área de Preservação Ambiental na Unidade Experimental do Centro Universitário de Anápolis – GO. Foram reunidas porções de folhas jovens (proporção de tamanho menor) e adultas (proporção de tamanho maior), sendo preferivelmente extraídas descensionalmente do terceiro nó, identificadas logo abaixo da extremidade da espécime, coletou-se amostras de 10 espécimes de J. nodicaulis (Nees) Leonard ao longo do córrego da área experimental do Centro Universitário de Anápolis. Materiais que foram adquiridos com o objetivo de realizar a prospecção fitoquímica e levantamento dos óleos essenciais. Para a análise qualitativa das classes de metabólicos secundários mais ocorrentes na espécie, utilizou-se metodologias descritas nas literaturas da ciência da fitoquímica. Entre os resultados, foram obtidos nas folhas novas e adultas, cumarinas, taninos, heterosídeos antraquinônicos, flavonóides, cardioativos e saponínicos. Entre o levantamento dos óleos essenciais foram obtidos 49 integrantes mais ocorrentes da literatura analisada.

Palavras-chave


Cerrado; Justicia; Compostos Fitoquímicos; Botânica; Acanthaceae.

Referências


Rodrigues VEG, Carvalho DA. Levantamento etnobotânico de plantas medicinais no domínio do cerrado na região do Alto Rio Grande – Minas Gerais. Ciência e Agrotecnologia, v.25, n.1, p.102-123, 2001.

Sartin RD. O gênero Justicia L. (Acanthaceae) no Estado de Goiás, 2015, Pag. 08. Teses e Dissertações, biblioteca digital USP.

Heywood VH. Flowering plants of the world. London: Croom Helm, 1985.

Venâncio ET. Estudo dos efeitos comportamentais e neuroquímicos do extrato padronizado de Justicia pectoralis (chambá) em camundongos. 200f. Mestrado em Farmacologia, Universidade Federal do Ceará, 2009.

Matos FJA. Introdução à fitoquímica experimental. Focaliza: UFC, n. 128, p. 1988.

Matos JMD, Matos ME. Farmacognosia. Fortaleza: UFC, 1989.

Costa AF. Farmacognosia. 3 v. 3. ed. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 2001.

Adams RP. Identification of essential oil components by gas cromatography/mass spectroscopy. Carol Streams: Allured Publ., 69p. 1995.

Adams RP. Identification of Essential Oil Components by Gas chromatography/Mass Spectrometry, 4th ed., Allured: Illinois. 2007.

Ferracini VL. Óleos essenciais de Baccharis e sua interação com insetos polinizadores. Tese (Doutorado)-Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), Campinas. 1995.

Joseph H, Gleye J, Moulis C, Mensah LJ, Roussakis C, Gratas C. Justicidin B, a Cytotoxic Principle from Justicia pectoralis. J. Nat. Prod., 1988, 51 (3), pp 599–600, 1988.

Falcão DQ, Menezes FS. Revisão etnofarmacológica, farmacológica e química do gênero Hyptis. The Hyptis nus: an ethnopharmacological and chemical review. Revista Brasileira de Farmácia, vol.84, n. 3, p. 69-74. 2003.

Jirovetz L, Buchbauer G, Schmidt E, Stoyanova AS, Denkova Z, Nikolova R, Geissler, M. Purity, Antimicrobial activities and olfactoric evaluations of Geraniol/Nerol and various of their derivatives. Journal of Essential Oil Research, vol. 19, p. 288-291. 2007.

Silva Santos A, BIZZO HR, ANTUNES AMS, D’avila IA. A proteção patentária na utilização de óleos essenciais e compostos terpênicos para o desenvolvimento tecnológico e industrial. Revista Brasileira de Plantas Medicinais. 8(4): 14-22. 2006.

Gottlieb OR, Fineberg M, Guimarães ML, Magalhães MT, Maravalhas M. Associação brasileira de pesquisa sobre plantas aromáticas e óleos essenciais. Boletim 11, p. 1-13. 1965.

Gottlieb OR. Kaplan MAC, Borin MDE. Biodiversidade, um enfoque químico-biológico. Rio de Janeiro: UFRJ. 1996.

Prates HT, Leite RC, Craveiro AA, Oliveira AB. Identification of some chemical components of the essential oil from molasses grass (Melinis minutiflora Beauv.) and activity against Cattle-tick (Boophilus microplus). Journal of the Brazilian Chemical Society, vol. 9, n. 5, p. 193-197. 1998.

Belaiche T, Tantaqui-Elaraki A, Ibrahimy A. Application of a two levels factorial design to the study of the antimicrobial activity of three terpenes. Sciences Aliments. vol. 15, p. 571-578. 1995.

Elisabetsky E, Marschner J, Souza DO. Effects of linalool on glutamatergic system in the rat cerebral-cortex. Neurochemical Research, vol. 20, p. 461-465. 1995.

Elisabetsky E, Brum LF, Souza DO. Anticonvulsant properties of linalool in glutamate-related seizure models. Phytomedicine, vol. 06, p. 107-113. 1999.

Costa MCCD. Uso popular e ações farmacológicas de Plectranthus barbatus Andr. (Lamiaceae): revisão dos trabalhos publicados de 1970 a 2003. Revista Brasileira Planta Medica, Botucatu, vol.8, n.2, p.81-88. 2006.

Polzernheim MCL, Bizzo HR, Viera RF. Análise dos óleos essenciais de três espécies de Piper coletadas na região do Distrito Federal (Cerrado) e comparação com óleos de plantas procedentes da região de Paraty, RJ (Mata Atlântica). Rev bras farmacogn. 2006; 16(2): 246-51.


Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.



Fator de Impacto ISI- International Scientific Indexing

JCR 0.852 (2017)/ JCR 1.021 (2018)

Qualis CAPES: B4

ISSN Online: 2179-0981 / ISSN Impresso: 2316-848X