Cuidados de mulheres para o controle e a prevenção da hipertensão arterial no ambiente familiar

Cátia Suely Palmeira, Maiara de Menezes Rabelo, Fernanda Carneiro Mussi

Resumo


Objetivo: Identificar os cuidados realizados por mulheres hipertensas para o controle deste agravo e sua prevenção no ambiente familiar. Método: Estudo descritivo, sendo entrevistadas 126 mulheres em unidade ambulatorial, em Salvador-BA. Resultados: Constatou-se elevada frequência de ingestão de alimentos ricos em sódio (66,6%), hábito de preparar o feijão com carnes salgadas (63,5%), sedentarismo (72,2%), não fracionamento das refeições (73,8%) e baixo consumo de alimentos integrais (74,6%). Apesar de 34,1% residirem com algum familiar hipertenso, 64,1% não conversavam com familiares sobre a prevenção e controle da doença, 73,0% não os orientavam para a aferição da pressão arterial e 50% não reduziam o sal para toda a família. Conclusão: A maioria não realizava o autocuidado necessário ao controle da doença e não estendia à família os cuidados referentes à prevenção. É preciso conhecer crenças e barreiras para adesão à terapêutica e compartilhar com as mulheres uma proposta de cuidado que possa ser estendida à família.

Palavras-chave


Hipertensão; Cuidado; Prevenção; Enfermagem.

Referências


Malachias M, Plavnik F, Machado C, Malta D, Scala L, Fuchs S. 7th Brazilian Guideline of Arterial Hypertension: Chapter 1 - Concept, Epidemiology and Primary Prevention. Arquivos Brasileiros de Cardiologia. 2016;107(3 Suppl 3):1-6. doi:10.5935/abc.20160151.

Andrade SSCA, Malta DC, Iser BM, Sampaio PC, Moura L. Prevalência da hipertensão arterial autorreferida nas capitais brasileiras em 2011 e análise de sua tendência no período de 2006 a 2011. Rev. bras. epidemiol. 2014 ; 17(Suppl 1): 215-26.

Bernard CR, Bochud M, Devuyst O. The Hypertension Pandemic: An Evolutionary Perspective. PHYSIOLOGY 32: 112–125, 2017. doi:10.1152/physiol.00026.20163

Ramírez-Bello J, Pérez-Méndez O, Ramírez-Fuentes S, Carrillo-Sánchez S, Vargas-Alarcón G, Fragoso JM. Genética y genómica de la hipertensión arterial: una actualización. Archivos de cardiología de México, 2011; 81(3): 240-50

Valdés MTL, Herrera JAC. Estudios sobre las bases genéticas de la hipertensión Arterial. Revista Cubana de Investigaciones Biomédicas. 2013; 32(1): 8-20.

Piccini RX, Facchini LA, Tomasi E, Siqueira FV, Silveira DS, Thumé E, et al. Promoção, prevenção e cuidado da hipertensão arterial no Brasil. Rev. Saúde Pública. 2012; 46(3): 543-50. doi:10.1590/S0034-89102012005000027.

Rouquayrol MZ, Silva MGC. Epidemiologia & saúde. 7. ed. Rio de Janeiro: MedBook, 2013.

Juliana Costa Machado Rosângela Minardi Mitre Cotta Tiago Ricardo Moreira Luciana Saraiva da Silva. Análise de três estratégias de educação em saúde para portadores de hipertensão arterial. Ciênc. saúde colet. 2016; 21 (2): 611-19. DOI: 10.1590/1413-81232015212.20112014

Baggio MA, Erdmann AL. La Circularidad de los Procesos de Atención y Cuidado en la Formación de la Atención de “Nos Otros”. Rev. Enf. Ref. 2015; serIV(7): 11-20. doi.10.12707/RIV15012.

Gutierrez DMD, Minayo MCS. Produção de conhecimento sobre cuidados da saúde no âmbito da família. Ciência & Saúde Coletiva. 2010; 15 (Suppl 1): 1497-508. doi:10.1590/S1413-81232010000700062

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Vigilância de Doenças e Agravos não Transmissíveis e Promoção da Saúde. Vigitel Brasil 2017: vigilância de fatores de risco e proteção para doenças crônicas por inquérito telefônico : estimativas sobre frequência e distribuição sociodemográfica de fatores de risco e proteção para doenças crônicas nas capitais dos 26 estados brasileiros e no Distrito Federal em 2017 / Ministério da Saúde, Secretaria de Vigilância em Saúde, 2018. 130.: il.

Instituto Brasileiro Geografia e Estatística (IBGE) Síntese de indicadores sociais: uma análise das condições de vida da população brasileira. Rio de Janeiro: IBGE, [Internet]. 2010; [acesso em: 11 mar 2016] Disponível em: http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/populacao/condicaodevida/indicadoresminimos/sinteseindicsociais2010/SIS_2010.pdf

Vathesatogkit P, Woodward M, Tanomsup S, Hengprasith B, Aekplakorn Wichai, Yamwong S, et al. Long-term effects of socioeconomic status on incident hypertension and progression of blood pressure. Journal of hypertension. 2012;30(7):1347-53. doi:10.1097/HJH.0b013e32835465ca.

Levorato CD, Mello LM, Silva AS, Nunes AA. Fatores associados à procura por serviços de saúde numa perspectiva relacional de gênero. Ciênc. saúde coletiva. 2014;19(4):1263-74. doi:10.1590/1413-81232014194.01242013

Boing AF, Matos IB, Arruda MP, Oliveira MC, Njaine K. Prevalência de consultas médicas e fatores associados: um estudo de base populacional no sul do Brasil. Rev. Assoc. Med. Bras. 2010; 56(1):41-6.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Estratégias para o cuidado da pessoa com doença crônica: hipertensão arterial sistêmica / Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Atenção Básica. – Brasília: Ministério da Saúde, 2013. 128 p.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Guia alimentar para a população brasileira / Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Atenção Básica. 2 ed. Brasília: Ministério da Saúde, 2014. 156 p.

Bakker EA, Sui X, Brellenthin AG, Lee DC. Physical activity and fitness for the prevention of hypertension. Curr Opin Cardiol. 2018 Jul;33(4):394-401. doi:10.1097/HCO.0000000000000526.

Cichocki M, Fernandes KP, Castro-Alves DC, Gomes MVM. Atividade física e modulação do risco cardiovascular. Revista Brasileira de Medicina do Esporte. 2017; 23:21–25. doi:10.1590/1517-869220172301159475

Aziz José Luís. Sedentarismo e hipertensão arterial Sedentary lifestyle and hypertension Rev Bras Hipertens. 2014. 21(2):75-82.


Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.



Fator de Impacto ISI- International Scientific Indexing

JCR 0.852 (2017)/ JCR 1.021 (2018)

Qualis CAPES: B4

ISSN Online: 2179-0981 / ISSN Impresso: 2316-848X