Enfermagem e os cuidados com pacientes surdos no âmbito hospitalar

Raiane Pereira Silva Cunha, Mayara Candida Pereira, Maria Liz Cunha de Oliveira

Resumo


Objetivo: descrever as dificuldades enfrentadas por profissionais da enfermagem na assistência e comunicação com pacientes surdos em unidade hospitalar e mostrar estratégias de melhorias para comunicação. Método: Trata-se de um estudo de revisão de literatura, onde foi realizado um levantamento de dados eletrônicos na Biblioteca Virtual em Saúde (BVS) – BIREME e no Scientific Electronic Library Online – Scielo. Realizou-se a pesquisa a partir das palavras-chaves obtidas através dos DECs (descritores de assunto em ciências da saúde da BIREME): Surdez, Comunicação, Assistência, Enfermagem, Unidade de Saúde, entre o período de 2013 a 2018. Resultados: Diante dos artigos encontrados, pôde-se analisar que a maioria dos profissionais de enfermagem não possuem capacidade para oferecer assistência de qualidade aos pacientes surdos devido ao baixo nível de conhecimento a respeito da Libras. Notou-se que grande parte do estímulo para o aprendizado pode vir das escolas de formação acadêmica, porém, muitos dos profissionais buscam se capacitarem por meios próprios com o intuito de oferecerem melhor assistência a seus pacientes surdos. Conclusão: Os serviços de saúde ainda são deficitários devido baixo conhecimento dos profissionais de enfermagem sobre Língua Brasileira de Sinais – Libras, baixo estímulo durante a formação acadêmica e falta de qualificações, poucos dos profissionais se encontram capacitados para atender os pacientes surdos de forma integral e de qualidade.

Palavras-chave


Surdez; Comunicação; Assistência; Enfermagem; Unidade de saúde.

Referências


Brasil. Decreto n° 5.626, de 22 Dezembro de 2005. Regulamenta a Lei nº 10.436, de 24 de abril de 200, que dispõe sobre Língua Brasileira de Sinais - Libras, e o art. 18 da Lei nº 10.098, de 19 de Dezembro de 2000. http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2004-2006/2005/decreto/d5626.htm.

Oyama SMR, Barbosa FAMT, Parazzi LC. Comunicação do enfermeiro docente na assistência a pessoas surdas e cegas. CuidArte Enfermagem 2017; 11(1): 78-85.

Magrini AM, Santos TMM. Comunicação entre funcionários de uma unidade de saúde e pacientes surdos: um problema?. Distúrb Comun. 2014; 26 (3): 550-558.

Monteiro, R, Silva, DNH, Ratner, C. Surdez e diagnóstico: narrativas de surdos adultos. Psicologia: teoria e pesquisa. 2013; 32 (esp): 1-7.

Nascimento GB, Fortes LO, Kessler TM. Estratégias de comunicação como dispositivo para o atendimento humanizado em saúde da pessoa surda. Saúde Santa Maria. 2015; 41 (2): 241-250.

Lopes RM, Vianna NG, Silva EM. Comunicação do surdo com profissionais de saúde na busca da integralidade. Revista Saúde e Pesquisa. 2017; 10 (2): 213-221.

Soares IP, Lima EMM, Santos ACM, Ferreira CB. Como eu falo com você? a comunicação do enfermeiro com o usuário surdo. Revista baiana enfermagem. 2015; 25 (1): 307-320.

Nóbrega JD, Munguba MC, Pontes RJS. Atenção à saúde e surdez: desafios para implantação da rede de cuidados à pessoa com deficiência. Revista Brasileira Promoção Saúde. 2017; 30 (3): 1-10.

Oliveira YCA, Celino SDM, Costa GMC. Comunicação como ferramenta essencial para assistência à saúde dos surdos. Revista de Saúde Coletiva. 2015; 25 (1): 307-320.

Machado WCA, Machado DA, Figueiredo NMA. Língua de Sinais: como a equipe de enfermagem interage para cuidar de clientes surdos?. Fundam. care. online. 2013; 5(3):283-292.

Tedesco JR, Junges JR. Desafios da prática do acolhimento de surdos na atenção primária. Cad. Saúde Pública. 2013; 29 (8):1685-1689.

França EG, Pontes MA, Costa GMC, França ISX. Dificuldades de profissionais na atenção à saúde da pessoa com surdez severa. Ciencia y enfermeira XXII. 2016; 3: 107-116.

Carvalho Filha FSS, Silva SR, Lando GA. Cuidado ao surdo: conexões com o Direito à Saúde. Portuguese ReOnFacema. 2015; 1(1): 31-38.

Ramos TS, Almeida MAPTA. A Importância do ensino de Libras: Relevância para Profissionais de Saúde. Id on Line Revista Multidisciplinar e de Psicologia. 2017; 10 (33): 116-126.

França NGGM, Silva RG. Percepção do Enfermeiro sobre a comunicação no atendimento à pessoa com deficiência auditiva. 2017.

Francisqueti V, Teston EF, Costa MAR, Souza VS. Sentimentos da equipe de enfermagem ao atender um paciente com deficiência auditiva: Desafios do cuidado. Revista educação, arte e inclusão. 2017; 23 (3): 31-48.

Pires HF, Almeida MAPT. A percepção do surdo sobre o atendimento nos serviços de saúde. Revista Enfermagem Contemporânea. 2016; 5(1):68-77.

Silva DB, Mendonça AW. A gênese do conceito de inclusão na educação especial. 2013.


Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.



Fator de Impacto ISI- International Scientific Indexing

JCR 0.852 (2017)/ JCR 1.021 (2018)

Qualis CAPES: B4

ISSN Online: 2179-0981 / ISSN Impresso: 2316-848X