Significados atribuídos e sentimentos autorreferidos sobre adoecimento de pessoas que vivem com hanseníase

Alex Vilas Boas de Miranda, Claudia Suely Barreto Ferreira, Cleuma Sueli Santos Suto, Jones Sidnei Barbosa de Oliveira, Cristiane dos Santos Silva, Carle Porcino

Resumo


Objetivo: compreender os significados atribuídos e sentimentos autorreferidos sobre o adoecimento por pesssoas que vivem com hanseníase. Método: pesquisa qualitativa, desenvolvida em um município da região norte da Bahia. Realizou-se entrevistas semiestruturadas e observação sistemática, que originou três categorias analíticas, por meio da análise temática categorial de Bardin. Resultados: os participantes revelaram sentimentos de medo, inferioridade e tristeza que coexistem com a discriminação e a falta de informação sobre o adoecimento. Estes sentimentos vivenciados cotidianamente os afastaram de familiares e pessoas próximas, reforçando sofrimentos e adoecimento psiquico. Conclusão: o enfrentamento diário do preconceito pode interferir no prognóstico da doença, na adesão ao tratamento e qualidade de vida, o que requer uma conduta profissional pautada em acolhimento, escuta qualificada e constante diálogo.


Palavras-chave


Hanseníase; Emoções; Vulnerabilidade social; Profissionais da saúde; Atenção Primária à Saúde.

Referências


Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Políticas de Saúde. Guia para o controle da hanseníase. Departamento de Atenção Básica [internet]. 2017. 89 p. Available at: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/guia_de_hanseniase.pdf

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Guia prático sobre a hanseníase. Departamento de Vigilância das Doenças Transmissíveis [internet]. 2017. 68 p. Available at: https://portalarquivos2.saude.gov.br/images/pdf/2017/novembro/22/Guia-Pratico-de-Hanseniase-WEB.pdf

Leão e Silva LO, Rodrigues SM, Brandão MBF, Dias CA, Fernandes ETP . Representações Sociais do Processo de Diagnóstico e Cura da Hanseníase. Revista Psicologia e Saúde [internet]. 2020; 12(2):73-87. Available at: http://dx.doi.org/10.20435/pssa.v0i0.859

Oliveira RG. Sentidos das doenças negligenciadas na agenda da saúde global: o lugar de populações e territórios. Ciênc. saúde colet [internet]. 2018; 23(7):2291-2302. Available at: https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1413-81232018000702291&script=sci_abstract&tlng=pt

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Hanseníase, verminoses e tracoma têm cura: a experiência de uma campanha integrada. Boletim Epidemiológico [internet]. 2016; 47(21). Available at: http://www.saude.gov.br/images/pdf/2016/maio/12/2015-038---Campanha-publica----o.pdf

Passos ÁLV, Araújo LF. Representações sociais da hanseníase: um estudo psicossocial com moradores de um antigo hospital colônia. Interações (Campo Grande) [internet]. 2020; 21(1):93-105. Available at: https://doi.org/10.20435/inter.v21i1.1944

Minayo MCS. O desafio do conhecimento. Pesquisa qualitativa em saúde. 2014;14.

Bardin L. Análise de conteúdo. Tradução Luís Antero Reto, Augusto Pinheiro. 2016;70.

Assis MMA, Jorge MSB. Métodos de análise em pesquisa qualitativa. In: Santana JSS, Nascimento MAA (org.). Pesquisa: método e técnicas de conhecimento da realidade social. Feira de Santana: UEFS, 2010. p.139-157.

Pinheiro MGC; Bezerra E Silva SY, França ALM, Monteiro BR, Simpson CA. Hanseníase: uma abordagem educativa com estudantes do ensino médio. Revista de Pesquisa Cuidado é Fundamental Online [internet]. 2014; 6(2):776-784. Available at: https://www.redalyc.org/articulo.oa?id=505750622032

Romanholo HSB, Souza EA, Ramos Jr AN, Kaiser ACGCB, Silva IO, Brito AL et al. Surveillance of intradomiciliary contacts of leprosy cases: perspective of the client in a hyperendemic municipality. Rev Bras Enferm [Internet]. 2018; 71(1):163-9. Available at: http://dx.doi.org/10.1590/0034-7167-2016-0607

Barreto J, Gasparoni JM, Politani AL, Rezende LM, Edilon TS, Fernandes VG et al. Hanseníase e estigma. Hansen Inter [Internet]. 2013; 38(1-2):14-25. Available at: http://www.ilsl.br/revista/imageBank/v38n1-2a03.pdf

Pelarigo JGT, Prado RBR, Nardi SMT, Quaggio CMP, Camargo LHS, Soares LH et al. Declínio cognitivo, independência funcional e sintomas depressivos em idosos com hanseníase. Hansen Inter [internet]. 2014; 39(1):30-39. Available at: http://www.ilsl.br/revista/detalhe_artigo.php?id=12228

Palmeira IP, Queiroz ABA, Ferreira MA. Marcas em si: vivenciando a dor do (auto) preconceito. Rev Bras Enferm [internet]. 2013; 66(6):893-900. Available at: https://www.scielo.br/pdf/reben/v66n6/13.pdf

Araújo MM, Silva JHS, Gomes ACS, Lopes LRS, Marques RB. Perfil clínico-epidemiológico de pacientes que abandonaram o tratamento de hanseníase. Hansen Inter [Internet]. 2014; 39(2):55-63. Available at: http://www.ilsl.br/revista/detalhe_artigo.php?id=12349

Reis FJJ, Gomes MK, Cunha AJLA. Avaliação da limitação das atividades diárias e qualidade de vida de pacientes com hanseníase submetidos à cirurgia de neurólise para tratamento das neurites. Fisioter. Pesqui [Internet]. 2013; 20(2): 184-190. Available at: https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1809-29502013000200014

Basso MEM, Silva RLF. Perfil clínico-epidemiológico de pacientes acometidos pela hanseníase atendidos em uma unidade de referência. Rev Soc Bras Clin Med [Internet]. 2015; 15(1):27-32. Available at: http://docs.bvsalud.org/biblioref/2017/04/833138/27-32.pdf

Simões S, Castro SS, Scatena LM, Castro RO, Lau FA. Qualidade de vida dos portadores de hanseníase num município de médio porte. Medicina (Ribeiro Preto. Online) [internet]. 2016; 49(1):60-67. Available at: http://www.revistas.usp.br/rmrp/article/view/118371

Mesquita Filho M, Gomes CFL. Preconceito e conhecimento sobre hanseníase: a situação do agente comunitário de saúde. Revista Bioethikos [internet]. 2014; 8(2):153-160. Available at: https://pdfs.semanticscholar.org/ef94/5c8724309447e8b1fcac84b8a56058d1c7c1.pdf

Oliveira JCF, Leão AMM, Britto FVS. Análise do perfil epidemiológico da hanseníase em Maricá, Rio de Janeiro: uma contribuição da enfermagem. Rev Enferm UERJ [internet]. 2014; 22(6):815-821. Available at: https://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/enfermagemuerj/article/view/13400

Rocha MCN, Lima RB; Stevens A, Gutierres MMU, Garcia LP. Óbitos registrados com causa básica hanseníase no Brasil: uso do relacionamento de bases de dados para melhoria da informação. Cien Saude Colet [internet]. 2015; 20(4):1017-1026. Available at: https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1413-81232015000401017&script=sci_abstract&tlng=pt


Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Fator de Impacto ISI- International Scientific Indexing

JCR 0.852 (2017-2018)

JCR 1.021 (2018-2019)

JCR 1.254 (2019-2020)

Qualis CAPES: B4

Índice H: 9,0

ISSN Online: 2179-0981 / ISSN Impresso: 2316-848X