O conhecimento da população sobre o descarte adequado de medicamento vencido

Giselle Candido Parente, Maria Modesta Pereira da Silva, Clézio Rodrigues de Carvalho

Resumo


Objetivo: investigar o conhecimento da população sobre maneira correta de descarte do medicamento. Método: pesquisa descritiva qualitativa com aplicação de questionário estruturado e 59 pessoas foram escolhidas aleatoriamente para colher as informações, em maio de 2020. Resultado: Observou-se que 88,1% dos entrevistados tem o habito de olhar a validade do medicamento, 54,2% compra somente o que o médico prescreve, 61% descartam o medicamento vencido no lixo comum e 22% disseram devolver no posto de saúde ou farmácia, 55,9% disseram ter conhecimento do local correto de descarte, 67,8% afirmaram saber que o descarte inadequado tem impacto no meio ambiente, 40,7% jogam fora a medicação em desuso. Conclusão: O desenvolvimento do presente estudo possibilitou enxergar que quase a totalidade das pessoas pesquisadas não faz o descarte de forma adequada, não tem conhecimento sobre os locais de entrega destes medicamentos e uma parcela significativa não sabe que o descarte inadequado tem grande impacto ao meio ambiente.


Palavras-chave


Medicamento; Descarte; Meio ambiente; População.

Referências


Bueno CS, Weber D, Oliveira KR. Farmácia Caseira e Descarte de Medicamentos no Bairro Luiz Fogliatto do Município de Ijuí – RS. Rev ciênc farm básica apl. 2009; 30(2): 75-82.

Brasil. Ministério Do Meio Ambiente. Governo Federal regulamenta correto descarte de medicamentos. Brasília: Ministério do Meio Ambiente; 2020. Disponível em: https://www.mma.gov.br/informma/item/15759-governo-federal-regulamenta-correto-descarte-de-medicamentos.html . Acesso em: 10 jun. 2020

Eickhoff P, Heineck I, Seixas LJ. Gerenciamento e destinação final de medicamentos: uma discussão sobre o problema. Rev Bras Farm. 2009; 90(1): 64-8.

Crestana GB, Silva JH. Fármacos residuais: panorama de um cenário negligenciado. REID. 2011; 9: 55-65.

Pinto GMF, Silva KR, Pereira RFAB, Sampaio SI. Estudo do descarte residencial de medicamentos vencidos na região de Paulínia (SP), Brasil. Eng. Sanit. Ambient. 2014; 19(3): 219-24. Doi: https://doi.org/10.1590/S1413-41522014019000000472

Falqueto E, Kligerman DC, Assumpção RF. Como realizar o correto descarte de resíduos de medicamentos? Ciênc. Saúde Colet. 2010; 15: 3283-93.

BRASIL. Lei nº 12305, de 02 de agosto de 2010. Institui a Política nacional de Resíduos Sólidos. Brasília: Ministério do Meio Ambiente; 2010. Disponível em: < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2010/lei/l12305.htm >. Acesso em 10 jun.2020.

Brasil. Conselho Nacional do Meio Ambiente. Resolução Nº. 358. Dispõe sobre o tratamento e a disposição final dos resíduos dos serviços de saúde e dá outras providências. Brasília: Diário Oficial da União; 2005.

Brasil. Ministério da Saúde. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Resolução RDC nº 306, de 07 de dezembro de 2004. Dispõe sobre o Regulamento Técnico para o gerenciamento de resíduos de serviços de saúde. Brasília: Diário Oficial da União, 2004.

Morais I, Palma MSA, Günther WMR, Moreira AMM. Descarte de remédios preocupa especialistas. Revista Espaço Aberto. 2011 ; 133: s.p.

Alves HM. Investigação sobre o descarte de resíduos químicos medicamentosos no município de Uberaba - MG. Dissertação [Mestrado em Tecnologia Ambiental]- Universidade de Ribeirão Preto; 2007.

Bellan N, Pinto TJA, Kaneko TM, Moretto LD, Santos Junior N. Critical analysis of the regulations regarding the disposal of medication waste. Braz J Pharm Sci. 2012; 48(3): 507-13.

Falqueto E, Kligerman DC. Análise normativa para descarte de resíduos de medicamentos – estudo de caso da região Sudeste do Brasil. R. Disan. 2012; 13(2):10-23.

Carvalho EV, Ferreira E, Mucini L, Santos C. Aspectos legais e toxicológicos do descarte de medicamentos. Rev bras toxicol. 2009; 22(1-2):1-8.

Alvarenga LSV, Nicoletti MA. Descarte doméstico de medicamentos e algumas considerações sobre o impacto ambiental decorrente. Rev Saúde. 2010; 4(3): 34-9.


Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Fator de Impacto ISI- International Scientific Indexing

JCR 0.852 (2017-2018)

JCR 1.021 (2018-2019)

JCR 1.254 (2019-2020)

Qualis CAPES: B4

Índice H: 9,0

ISSN Online: 2179-0981 / ISSN Impresso: 2316-848X