Inquérito Brasileiro Sobre Terapia de Nutrição Domiciliar: panorama atual

Denise Philomene Joseph van Aanholt, Luciana Mitsue Sakano Niwa, Mariana Borges Dias, Diogo Toleto, Suely Itsuko Ciosak

Resumo


Objetivo: descrever como a terapêutica nutricional domiciliar é realizada no Programa Melhor em casa do Ministério da Saúde e na Saúde suplementar. Método: Estudo transversal, com dados secundários, onde foram selecionados os perfis de profissionais atuantes em atenção domiciliaria no Brasil. A coleta de dados ocorreu de março a junho de 2018, depois de submetido e aprovado pelo Comitê de Ética e Pesquisa. Resultados: Dos 289 brasileiros, 74% eram profissionais atuantes na Assistência domiciliaria. O tipo de Terapia Nutricional realizada foi 67% enteral exclusiva seguida de 33% terapia mista. A prescrição realizada de dieta exclusiva artesanal foi de 9% e de dieta enteral mista 55%. A maioria recebe dieta por gravidade intermitente, seguida de administração em “bolus”, gravitacional contínua e controle do gotejamento através da bomba de infusão. Conclusão: Os achados nos dão uma visão panorâmica da terapia nutricional enteral domiciliar no Brasil.  A aumento da terapia nutricional domiciliaria se faz necessária especialmente pelo aumento da população idosa e consequentemente de maior presença das doenças crônicas que podem levar a incapacidade, dependência, maior tempo de hospitalização e custos para o sistema de saúde. É fundamental a presença da equipe interdisciplinar, de boas práticas e do acompanhamento das famílias nos domicílios.


Palavras-chave


Terapia nutricional; Nutrição enteral; Nutrição parenteral; Serviços de assistência domiciliar

Referências


Green S, Dinenage S, Gower M, Van Wyk J. Home enteral nutrition: organisation of services. Nurs Older People. 2013;25(4).

Mazur CE, Schmidt ST, Rigon SDA, Schieferdecker MEM. Terapia Nutricional Enteral Domiciliar: Interface Entre Direito Humano À Alimentação Adequada E Segurança Alimentar E Nutricional. DEMETRA Aliment Nutr Saúde. 2014;9(3):757–70.

Saúde M da, Brasília. Politicas Publicas de Alimentação e Nutrição (PNAN). 2012.

Jansen AK, Silva KC, Henriques GS, dos Reis Coimbra J, Rodrigues MTG, dos Santos Rodrigues AM, et al. Relato de experiência: terapia nutricional enteral domiciliar–promoção do direito humano à alimentação adequada para portadores de necessidades alimentares especiais. DEMETRA Aliment Nutr Saúde. 2014;9:233–47.

Gabe K, Jaime P, Silva K. Politicas publicas de alimentação e nutrição voltadas as necessidades alimentares especiais. In: Jaime PC, editor. Politicas publicas de alimentação e nutrição. primeira. São Paulo: Atheneu; 2019. p. 145–54.

Waitzberg DL, Caiaffa WT, Correia MITD. Hospital malnutrition: the Brazilian national survey (IBRANUTRI): a study of 4000 patients. Nutrition. 2001;17(7–8):573–80.

Correia MITD, Perman MI, Waitzberg DL. Hospital malnutrition in Latin America: A systematic review. Clin Nutr. 2017;36(4):958–67.

Menezes CS, Fortes RC. Estado nutricional e evolução clínica de idosos em terapia nutricional enteral domiciliar: uma coorte retrospectiva. Rev Lat Am Enfermagem [Internet]. 2019;27. Available from: https://revista.nutricion.org/PDF/cutchma.pdf

Taibo RV, Olmos M-ÁM, Guerrero DB, Casariego AV, García RP, Sueiro AM, et al. Epidemiology of home enteral nutrition: an approximation to reality. Nutr Hosp. 2018;35(3):511–8.

Tyler RD, Guenter P. Identifying malnutrition: From acute care to discharge and beyond. Nurse Pract. 2017;42(4):18–24.

Brasil. Portaria SES-DF No 287 de 02 de dezembro de 2016 - Desospitalização para pacientes internados em enfermarias no Distrito Federal. DODF; 2016.

Rufino C, Carlini D, Alves M, Soo Jin Kim H. Como promover a desospitalização devido ao transplante de órgãos sólidos? Panorama atual no Brasil e profilaxia da infecção pelo citomegalovírus com valganciclovir. JBES Brazilian J Heal Econ Bras Econ da Saúde. 2016;8(1).

van Aanholt D, Matsuba C, Dias M, Teixeira da SIlva M, Campos A, Aguilar-Nascimento J. Diretriz TND. BRASPEN J. 2018;33:37–46.

Brasil. Portaria No 963, de 27 de maio de 2013. Redefine a atenção domiciliar no ambito do SUS. 2013.

Ministério da Saúde. Portaria No 2029, de 24 de agosto de 2011. Brasilia; 2011. p. 1–7.

Wanden-Berghe C, Pereira Cunill JL, Cuerda Compes C, Ramos Boluda E, Maiz Jiménez MI, Gómez Candela C, et al. Home and ambulatory artificial nutrition (NADYA) report. home parenteral nutrition in Spain, 2017. Nutr Hosp. 2018 Nov 1;35(6):1491–6.

van Aanholt D, Matsuba C, Dias M, Teixeira da SIlva M, agu. 2017 Inquerito Brasileiro TND. BRASPEN J. 2017;32(3):214–20.

Carnaúba CMD, Silva TDA e, Viana JF, Alves JBN, Andrade NL, Trindade Filho EM. Clinical and epidemiological characterization of patients receiving home care in the city of Maceió, in the state of Alagoas, Brazil. Rev Bras Geriatr e Gerontol. 2017 May;20(3):352–62.

Villar Taibo R, Martínez Olmos MÁ, Bellido Guerrero D, Vidal Casariego A, Peinó García R, Martís Sueiro A, et al. Epidemiology of home enteral nutrition: An approximation to reality. Nutr Hosp. 2018;35(3):511–8.

Domingues EA. Paciente idoso desospitalizado: a continuidade da terapia nutricional enteral domiciliar. São Paulo: Biblioteca “Wanda de Aguiar Horta” Escola de Enfermagem da Universidade de São Paulo; 2019. p. 100p.

Johnson TW, Sara Seegmiller RN, Epp L, Mundi MS. Addressing Frequent Issues of Home Enteral Nutrition Patients. Vol. 34, Nutrition in Clinical Practice. John Wiley and Sons Inc.; 2019. p. 186–95.

Baxter YC, Dias MCG, Maculevicius J, Cecconello I, Cotteleng B, Waitzberg DL. Economic study in surgical patients of a new model of nutrition therapy integrating hospital and home vs the conventional hospital model. J Parenter Enter Nutr. 2005;29:S96–105.

Gavazzi C, Colatruglio S, Valoriani F, Mazzaferro V, Sabbatini A, Biffi R, et al. Impact of home enteral nutrition in malnourished patients with upper gastrointestinal cancer: a multicentre randomised clinical trial. Eur J Cancer. 2016;64:107–12.

Brasil. Caderno de Atenção Domiciliar - Cuidados em Terapia Nutricional. Brasília: Ministério da Saúde; 2014.

Waitzberg DL, Ciosak SI, Borges VC, Cardim Filho E, Rodrigues JJG, Gama AH. Síndrome do intestino curto e nutrição parenteral domiciliar cíclica. Barcelona, Spain: 9th ESPEN Congress; 1987.

Orlandoni P, Peladic NJ, Di Rosa M, Venturini C, Fagnani D, Sparvoli D, et al. The outcomes of long term home enteral nutrition (HEN) in older patients with severe dementia. Clin Nutr. 2019 Aug 1;38(4):1871–6.

Wanden-Berghe C, Pereira Cunill JL, Cuerda Compes C, Ramos Boluda E, Maiz Jiménez MI, Gómez Candela C, et al. Spanish home enteral nutrition registry of the year 2016 and 2017 from the NADYA-SENPE Group. Nutr Hosp [Internet]. 2019;36(2):1–8. Available from: https://doi.org/10.1016/j.endien.2018.08.007

Ciosak SI. Rotinas de monitoramento em home care na terapia nutricional. In: Terapia Nutricional Enteral e Parenteral. 1a ed. São Paulo: Martinare; 2014. p. 117–25.

Ciosak SI, Matsuba C. Cuidados de enfermagem na nutrição enteral. In: Nutrição Oral, Enteral e Parenteral na Prática Clínica. 5a ed. São Paulo: Atheneu; 2017. p. 1025–36.

Wanden-Berghe C, Patino-Alonso MC, Galindo-Villardón P, Sanz-Valero J. Complications associated with enteral nutrition: CAFANE study. Nutrients. 2019 Sep 1;11(9).


Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Fator de Impacto ISI- International Scientific Indexing

JCR 0.852 (2017-2018)

JCR 1.021 (2018-2019)

JCR 1.254 (2019-2020)

Qualis CAPES: B4

Índice H: 9,0

ISSN Online: 2179-0981 / ISSN Impresso: 2316-848X