A enfermagem perante o aborto: uma revisão integrativa

Sabrina Ferreira Cruz, Maria Luiza Rêgo Bezerra, Andrey Hudson Interaminense Mendes de Araújo, Valéria Leonhardt, Mayara Cândida Pereira, Iel Marciano de Moraes Filho

Resumo


Objetivo: Diante da necessidade de assegurar uma prática assistencial embasada em evidências científicas, tem-se como objetivo identificar como é prestada a assistência de enfermagem à mulher em situação de abortamento. Método: Trata-se de uma revisão integrativa realizada através do levantamento bibliográfico de artigos sobre a atuação da enfermagem perante o abortamento. A coleta de dados foi realizada através da Biblioteca Virtual da Saúde nas bases de dados da Medical Literature Analysis and Retrieval System Online, Literatura Latino-Americana e do Caribe em Ciências da Saúde e Base de Dados Nacionais da Enfermagem. Resultados: Foram obtidas para a análise 5 produções bibliográficas entre revisões integrativas, relato de experiência e outros. Conclusão: Conclui-se que embora o Código de Ética de Enfermagem seja um documento de acesso livre e fácil, muitos enfermeiros pecam em seu cumprimento quando colocam suas opiniões pessoais a frente da qualidade assistencial. Foi um limitante para a pesquisa a escassa quantidade de produções recentes sobre a temática. Espera-se com este artigo trazer contribuição acerca das condições de abortamento.

Palavras-chave


Aborto; Enfermagem; Assistência; Saúde da mulher; Revisão; Brasil.

Referências


Santos DLA, Brito RS. Sentimentos de mulheres diante da concretização do aborto provocado. Rev enferm UERJ [Internet]. 2016 [acesso em 26 de março de 2020]; 24(5):e15613. Disponível em: http://dx.doi.org/10.12957/reuerj.2016.15613.

Adesse L, Jannotti CB, Silva KS, Fonseca VM. Aborto e estigma: uma análise da produção científica sobre a temática. Ciência & Saúde Coletiva [Internet]. 2016 [acesso em 26 de março de 2020]; 21(12): 3819-3832. Disponível em: https://doi.org/10.1590/1413-812320152112.07282015.

Santos CS, Silveira LMC. Percepções de mulheres que vivenciaram o aborto sobre autonomia do corpo feminino. Revista Psicologia: ciência & profissão [Internet]. 2017 [acesso em: 05 de abril de 2020]; 37(2): 304-317. Disponível em: https://doi.org/10.1590/1982-3703000582016

Luna N. Aborto e corporalidade: sofrimento e violência nas disputas morais através de imagens. Horizontes Antropológicos [Internet]. 2014 [acesso em 26 de março de 2020]; 20(42): 293-325. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S0104-71832014000200012.

Borsari CMG et al. O aborto inseguro é um problema de saúde pública. Revista Femina [Internet]. 2012 [acesso em 05 de abril de 2020]; 40(2): 63-68. Disponível em: http://files.bvs.br/upload/S/0100-7254/2012/v40n2/a3094.pdf

Código Penal Brasileiro (BR). Decreto Lei nº 2848 de 07 de dezembro de 1940. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto-lei/del2848.htm.

Fonseca SC, Domingues RMSM, Leal MC, Aquino EML, Menzes GMS. Aborto legal no Brasil: revisão sistemática da produção científica, 2008-2018. Cad. Saúde Pública [Internet]. 2020 [acesso em 26 de março de 2020]; 36 Sup 1:e00189718. Disponível em: https://doi.org/10.1590/0102-311X00189718.

Cardoso BP, Vieira FMSB, Saraceni V. Aborto no Brasil: o que dizem os dados oficiais? Cad. Saúde Pública [Internet].2020 [acesso em 26 de março de 2020]; 36 Sup 1:e00188718. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/csp/v36s1/1678-4464-csp-36-s1-e00188718.pdf.

Anjos KF, Santos VC, Souza SR, Eugênio BG. Aborto e saúde púbica no Brasil: reflexões sob a perspectiva dos Direitos Humanos. Revista Saúde em debate [Internet]. 2013 [acesso em 05 de abril de 2020]; 37(98): 504-515. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S0103-11042013000300014

Diniz D, Medeiros M, Madeiro A. Pesquisa Nacional do Aborto 2016. Revista Ciência e saúde coletiva [Internet]. 2017 [acesso em 05 de abril de 2020]; 22(2): 653-660. Disponível em: https://doi.org/10.1590/1413-81232017222.23812016.

Conselho Federal de Enfermagem (BR). Resolução Nº. 564/2017 de 6 de novembro de 2017. Disponível em: http://www.cofen.gov.br/resolucao-cofen-no-5642017_59145.html

Whittemore R, Knafl K. The integrative review: updated methodology. J Adv Nurs [Internet] 2005; [acesso em 26 de março de 2020];52(5):546-53. Disponível em: https://doi.org/10.1111/j.1365-2648.2005.03621.x

Copelli FHS, Erdmann AL, Santos JLG. Entrepreneurship in Nursing: an integrative literature review. Rev Bras Enferm [Internet]. 2019 [acesso em 26 de março de 2020] ;72(Suppl 1):289-98. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/0034-7167-2017-0523.

Lima LAA, Monteiro CFS, Júnior FJGS, Costa AVM. Marcos e dispositivos legais no combate à violência contra a mulher no Brasil. Revista de Enfermagem Referência [Internet]. 2016 [acesso em 07 de abril de 2020]; 4(11). Disponível em: http://dx.doi.org/10.12707/RIV16034

Delziovo CR, Coelho EBS, d’Orsi E, Lindner SR. Violência sexual contra a mulher e o atendimento no setor saúde em Santa Catarina – Brasil. Ciência & Saúde Coletiva [Internet]. 2018 [acesso em 07 de abril de 2020]; 23(5). Disponível em: https://doi.org/10.1590/1413-81232018235.20112016

Ayres R et al. A contextualização do aborto sob a ótica do enfermeiro. Revista Nursing [Internet]. 2018 [acesso em 05 de abril de 2020]; 21(244): 2334-2337. Disponível em: http://www.revistanursing.com.br/revistas/244-Setembro2018/A_contextualizacao_aborto.pdf

Rodrigues FGR, Andrade DC, Dantas AS, Silva LR. Abortamento: Protocolo de assistência de enfermagem: relato de experiência. Revista de enfermagem UFPE Online [Internet]. 2017 [acesso em 05 de abril de 2020]; 11(8): 3171-3175. Disponível em: 10.5205/reuol.11064-98681-4-ED.1108201724

Lima LM et al. Cuidado humanizado às mulheres em situação de abortamento: uma análise reflexiva. Revista de enfermagem UFPE Online [Internet]. 2017 [acesso em 05 de abril de 2020]; 11(12): 5074-5078. Disponível em: https://doi.org/10.5205/1981-8963-v11i12a25126p5074-5078-2017

Pitilin EB, Banazeski AC, Bedin R, Gasparin VA. Nursing care in situations of induced /caused abortion: an integrative literature review. Enfermeria Global [Internet]. 2016 [acesso em 26 de março de 2020]; 43: 467-79. Disponível em: https://revistas.um.es/eglobal/article/view/229511.

Santana DM, Santos RS, Pérez BAG. A assistência de Enfermagem à mulher em processo de abortamento. Revista Psicologia, Diversidade e Saúde [Internet]. 2014 [acesso em 26 de março de 2020];2(1):50-59. Disponível em: https://www5.bahiana.edu.br/index.php/psicologia/article/view/267/393.

Ministério da Saúde (BR). Atenção humanizada ao abortamento: Norma técnica. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/atencao_humanizada_abortamento.pdf

Oliveira BG et al. Responsabilidade dos profissionais de saúde na notificação dos casos de violência. Revista Bioética [Internet]. 2018 [acesso em 07 de abril de 2020]; 26 (3): 403-11. Disponível em: http://doi.org/10.1590/1983-80422018263260

Ministério da Saúde (BR). Protocolos da atenção básica: Saúde das mulheres. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/protocolos_atencao_basica_saude_mulheres.pdf

Ferrari W, Peres S. Itinerários de solidão: aborto clandestino de adolescentes de uma favela da Zona Sul do Rio de Janeiro, Brasil. Cadernos de Saúde Pública [Internet]. 2020 [acesso em 07 de abril de 2020]; 36(1). Disponível em: https://doi.org/10.1590/0102-311x00198318

Ministério da Saúde (BR). 20 anos de pesquisas sobre aborto no Brasil. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/livreto.pdf

Silva EF et al. Atenção à mulher em processo de abortamento induzido: a percepção dos profissionais de enfermagem. Revista de enfermagem da UFSM [Internet]. 2015 [acesso em 05 de abril de 2020]; 5(3): 454-464. Disponível em: http://dx.doi.org/10.5902/2179769214801

Valença CN et al. Vivências dos profissionais da enfermagem sobre procedimentos executados no hospital. Revista Cubana de Enfermería [Internet]. 2016 [acesso em 07 de abril de 2020]; 32(4). Disponível em: http://www.revenfermeria.sld.cu/index.php/enf/article/view/1010/212

Barbosa ML, Rodrigues HNS, Celino SDM, Costa GMC. Conhecimento de profissionais de enfermagem sobre o código de ética que rege a profissão. Revista Baiana de Enfermagem [Internet]. 2017 [acesso em 07 de abril de 2020]; 31(4):e21978. Disponível em: http://dx.doi.org/10.18471/rbe.v31i4.21978

Filha FSSC et al. Abortamento: como é a atuação dos profissionais de saúde diante da situação? REAS, Revista Eletrônica Acervo Saúde [Internet]. 2017 [acesso em 26 de março de 2020]; 9(4):1159-1164. Disponível em: https://www.arca.fiocruz.br/bitstream/icict/27355/2/ve_Francidalma_Filha_et_al_2018.pdf .

Oguisso T, Takashi MH, Freitas GF, Bonini BB, Silva TA. Primeiro código internacional de ética de enfermagem. Texto & Contexto Enfermagem [Internet]. 2019 [acesso em 07 de abril de 2020]; 28: e20180140. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/1980-265X-TCE-2018-0140

Silva TN et al. Vivência deontológica da enfermagem: desvelando o código de ética profissional. Revista Brasileira de Enfermagem [Internet]. 2018 [acesso em 07 de abril de 2020]; 71(1):7-15. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/0034-7167-2016-0565

Lemos A, Russo JA. Profissionais de saúde e o aborto: o dito e o não dito em uma capacitação profissional em saúde. Comunicação Saúde e Educação [Internet]. 2014 [acesso em 26 de março de 2020]; 18(49):301-12. Disponível em: https://doi.org/10.1590/1807-57622013.0754.

Streffling ISS et al. Cuidado de enfermagem à mulher em situação de aborto: revisão integrativa. Revista de enfermagem da UFSM [Internet]. 2015 [acesso em 05 de abril de 2020]; 5(1): 169-177. Disponível em: http://dx.doi.org/10.5902/2179769212533

Sfair SC, Bittar M, Lopes RE. Educação sexual para adolescentes e jovens: mapeando proposições oficiais. Saúde e Sociedade [Internet]. 2015 [acesso em 07 de abril de 2020]; 24(2): 620-632. Disponível em: http://doi.org/10.1590/S0104-12902015000200018

Stillwell S, Melnyk BM, Fineout-Overholt E, Williamson K. Evidence– based practice: step by step. Am J Nurs [Internet]. 2010 [acesso em 25 de abril de 2020]; 110(5):41-7. Disponível em: http://download.lww.com/wolterskluwer_vitalstream_com/PermaLink/NCNJ/A/NCNJ_546_156_2010_08_23_SADFJO_165_SDC216.pdf


Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Fator de Impacto ISI- International Scientific Indexing

JCR 0.852 (2017-2018)

JCR 1.021 (2018-2019)

JCR 1.254 (2019-2020)

Qualis CAPES: B4

Índice H: 15,0

Índice i10: 29,0

ISSN Online: 2179-0981 / ISSN Impresso: 2316-848X