Praxiologia do cuidado de saúde homens que convivem com a Diabetes e a Hipertensão Arterial

Anderson Reis de Sousa, Andrey Ferreira da Silva, Fernanda Matheus Estrela, Helder Pereira Bonfim, Tamires Jesus Sousa, Leilane Nascimento da Conceição, Álvaro Pereira

Resumo


Objetivo: Aprender as práticas de cuidado de saúde exercitadas por homens em situação de adoecimento crônico. Método: Estudo qualitativo realizado com 38 homens idosos que conviviam com a Diabetes e a Hipertensão Arterial Sistêmica em um município da Bahia, Brasil. Realizamos entrevista individual submetida à análise pelo método do Discurso do Sujeito Coletivo, suportado pela Teoria das Transições. Resultados:  A praxiologia do cuidado de saúde dos homens esteve configurada pelo desenvolvimento de aprendizados e aquisições de habilidades específicas sobre a doença crônica; reeducação familiar; adesão às terapêuticas tradicionais face a utilização dos fitoterápicos, de saberes ancestrais e populares; a promoção de atividade física e repouso; o controle de modificações nos órgãos e no corpo e a promoção do bem-estar psicológico e a superação do sofrimento. Conclusão: As práticas de cuidado estão constituídas a partir das vivências masculinas na experiência do adoecimento crônico pela Diabetes Mellitus e a Hipertensão Arterial, que ao seu modo, implicam em mobilizações das masculinidades ao encontro de atos, atitudes, ações direcionadas à convivência com a doença, o seu enfrentamento e a significação a partir das oportunidades e dos acessos que estão disponíveis no território.


Palavras-chave


Praxiologia; Cuidados de Enfermagem; Adoecimento crônico; Saúde do Idoso; Saúde do Homem.

Referências


WHO. Noncommunicable diseases: Key facts. WHO, 2020. Disponível em: https://www.who.int/en/news-room/fact-sheets/detail/noncommunicable-diseases

Santos Robson Nogueira Costa, Bellato Roseney, Araújo Laura Filomena Santos de, Almeida Karla Beatriz Barros de, Souza Ítala Paris de. Lugares do homem no cuidado familiar no adoecimento crônico. Rev. esc. enferm. USP, 2018; 52: e03398. https://doi.org/10.1590/s1980-220x2017046703398.

WHO. NCD Global Monitoring Framework: Ensuring progress on noncommunicable diseases in countries. WHO; 2020. Disponível em:

https://www.who.int/nmh/global_monitoring_framework/en/

Separavich MA, Canesqui AM. Masculinidades e cuidados de saúde nos processos de envelhecimento e saúde-doença entre homens trabalhadores de Campinas/SP, Brasil. Saude soc. 2020;29(2)30.Doi: https://doi.org/10.1590/S0104-12902020180223

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Ações Programáticas e Estratégicas. Política Nacional de Atenção Integral à Saúde do Homem: princípios e diretrizes. Brasília: Ministério da Saúde, 2009.

Queiroz TS, Rehem TCMSB, Stival MM, Funghetto SS, Lima LR, Cardoso BG, et alComo homens idosos cuidam de sua própria saúde na atenção básica? Rev. Bras. Enferm. 2018; 71(Suppl 1): 554-61.Doi: https://doi.org/10.1590/0034-7167-2017-0131

Coelho JS, Giacomin KC, Firmo JOA. O cuidado em saúde na velhice: a visão do homem. Saude soc. 2016; 25(2):408-21. https://doi.org/10.1590/S0104-12902016142920.

Sousa AR, Vergara OJ, Mota TA, Silva RS, Carvalho ESS, Teixeira, JRB, Pereira A. Vivências de homens em adoecimento crônico no cuidado à saúde: implicações para a assistência de enfermagem. REVISA. 2020; 9(2): 212-21. Doi: https://doi.org/10.36239/revisa.v9.n2.p212a221

Martin D, Spink MJ, Pereira PPG. Corpos múltiplos, ontologias políticas e a lógica do cuidado: uma entrevista com Annemarie Mol. Interface comunicação saúde educação 2018; 22(64):295-305. Doi: https://doi.org/10.1590/1807-57622017.0171

Lefevre F, Lefevre AMCavalca. Discurso do sujeito coletivo: representações sociais e intervenções comunicativas. Texto contexto-enferm. 2014; 23(2): 502-7. Doi: https://doi.org/10.1590/0104-07072014000000014

Mol A. Ontological politics: a word and some questions. In: Law J, Hassard J. Actor network theory and after. Oxford: Blackwell Publishing; 1999.

Mol A. The body multiple: ontology in medical practice. Londres: Duke University Press; 2002.

Mol A. Who knows what a woman is…On the differences and the relations between the sciences. Med Anthropol Theory. 2015; 2(1):57-75.

A. The logic of care: health and the problem of patient choice. New York: Routledge; 2008.

Martin D, Spink MJ, Pereira PPG. Corpos múltiplos, ontologias políticas e a lógica do cuidado: uma entrevista com Annemarie Mol. Interface Com. Sau.Edu. 2018; 22(64):295-305.Doi: https://doi.org/10.1590/1807-57622017.0171

Queiroz DT, Oliveira AKA, Mota FGA, Esmeraldo GROV, Pedrosa GF, Farias GMN. Living with diabetes melittus: a man’s experience. Braz. J. of Develop. 2020;(60):4,16731-16741. DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n4-006

Rossaneis MA, Haddad MCFL, Mathias TAF, Marcon SS. Differences in foot self-care and lifestyle between men and women with diabetes mellitus. Rev. Latinoam. Enferm. 2016;24:e2761. https://doi.org/10.1590/1518-8345.1203.2761

Ryan P, Sawin KJ. The individual and family self-management theory: background and perspectives on context, process, and outcomes. Nurs Outlook. 2009;57(4):217–25. Doi: https://doi.org/10.1016/j.outlook.2008.10.004

Silva MGC, Domingos TS, Caramaschi Sandro. Hipertensão arterial e cuidados com a saúde: concepções de homens e mulheres. Psic.Saúde & Doenças. 2018;19(2):435-452. https://doi.org/10.15309/18psd190221 .

Becker NB, Heleno MGV. A eficácia adaptativa em pessoas com Diabetes Mellitus tipo 2. Bol. Psicol.. [internet]. 2016;(66):145,159-170. Disponível em < http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0006-59432016000200005&lng=pt&nrm=iso >. acessos em 28 dez. 2020

Burille A, Gerhardt TE. Doenças crônicas, problemas crônicos: encontros e desencontros com os serviços de saúde em itinerários terapêuticos de homens rurais. Saude soc. 2014; 23(2):664-76. Doi: https://doi.org/10.1590/S0104-12902014000200025.

Santos M.M, Nunes M.G.S, Martins R.D. Uso empírico de plantas medicinais para tratamento de diabetes. Rev. bras. plantas med. 2012;14(2):327-34. Doi: https://doi.org/10.1590/S1516-05722012000200012 .

Sousa AR, Alencar DC, Silva AMM, Souza CS, Barros JF, Álvaro P. Hombres, necesidades de salud y motivaciones para la automedicación. Cultura de los Cuidados. 2019;5.Doi: https://doi.org/10.14198/cuid.2019.55.12

Pereira MG, Rodrigues Â, Santos J, Pedras S, Costa V, Marques O et al . Funcionamento sexual, controlo metabólico e qualidade de vida em pacientes com Diabetes Tipo 1 e Tipo 2. Rev. SBPH [Internet].2014 [citado 2020 Dez 28]; 17(1):70-87. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1516-08582014000100005&lng=pt.

Viapiana VN, Gomes RM, Albuquerque GSC. Adoecimento psíquico na sociedade contemporânea: notas conceituais da teoria da determinação social do processo saúdedoença. Saúde Debate. 2018; 42(Esp. 4): 175-86. Doi: https://doi.org/10.1590/0103-11042018S414

Hiller M, Bellato R, Araújo LFS. Cuidado familiar à idosa em condição crônica por sofrimento psíquico. Esc. Anna Nery. 2011; 15(3): 542-9. Doi: https://doi.org/10.1590/S1414-81452011000300015

Becker SML, Silva ABB. Representações sociais da hipertensão arterial. Temas psicol. 2016;24(3):895-909.Doi: https://doi.org/10.9788/TP2016.3-07 .

Geremias LM, Evangelista LF, Silva RC, Furtado DS, Silveira-Monteiro CA, Freitas CF. Prevalência do diabetes mellitus associado ao estresse ocupacional em trabalhadores bancários, Minas Gerais, Brasil. Rev Cuid. 2017; 8(3):1863-74. Doi: https://doi.org/10.15649/cuidarte.v8i3.442

Sousa, AR, Queiroz, AM, Florencio, RMS, Portela PP, Fernandes, JD, Pereira, A. Homens nos serviços de atenção básica à saúde: repercussões da construção social das masculinidades. Rev Bai Enf.2016;30(3):1-10. Doi: https://doi.org/10.18471/rbe.v30i3.16054

Silva JC, Nasif SS, Sousa AR, Santos SD, Mota TN, Pereira A. Características clínicas de homens atendidos em unidade de pronto atendimento. Rev baiana enferm. 2020;34:e34702. Doi: https://doi.org/10.18471/rbe.v34.34702

Sousa AR. Produzir cuidado à saúde de homens e suas masculinidades: uma prioridade. REVISA. 2020;9(4):681-4. Doi: https://doi.org/10.36239/revisa.v9.n4.p681a684

Sousa AR, Vergara OJ, Mota TA, Silva RS, Carvalho ESS, Teixeira, JRB, Pereira A. Vivências de homens em adoecimento crônico no cuidado à saúde: implicações para a assistência de enfermagem. REVISA. 2020; 9(2): 212-21. Doi: https://doi.org/10.36239/revisa.v9.n2.p212a221


Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Fator de Impacto ISI- International Scientific Indexing

JCR 0.852 (2017-2018)

JCR 1.021 (2018-2019)

JCR 1.254 (2019-2020)

Qualis CAPES: B4

Índice H: 15,0

Índice i10: 29,0

ISSN Online: 2179-0981 / ISSN Impresso: 2316-848X