A humanização da assistência de enfermagem à criança hospitalizada no olhar materno

Isabela Barros Cordeiro dos Santos, Pollyana Flausino Caixeta dos Santos, Leila Batista Ribeiro, Danielle Ferreira Silva

Resumo


Objetivo: Descrever o olhar materno em relação ao caráter humanizado da assistência de enfermagem à criança hospitalizada. Método: Trata-se de um estudo de abordagem qualitativa, seguindo o método de história oral. A coleta de dados foi realizada com um número de 8 participantes que atenderam aos critérios de inclusão da pesquisa, por meio de entrevista virtual no grupo do Facebook chamado “Mães e Filhas do Guará – Brasília DF”. Resultados: A discussão apresentou-se por meio de 7 categorias, sendo elas: sobre a compreensão do que é humanização da assistência; sobre a presença ou ausência de uma assistência humanizada durante a hospitalização; sobre a importância de um ambiente recreativo para a criança hospitalizada; sobre ações essenciais no atendimento à criança hospitalizada; sobre a influência de uma assistência humanizada no estado geral da criança; sobre o conhecimento acerca da existência da pedagogia hospitalar. Conclusão: O presente estudo atendeu aos objetivos da pesquisa, pois através das histórias relatadas pelas mães participantes, foi provado o impacto da humanização na assistência sob o estado da criança, assim como, apesar de ter tido exceções em algumas situações acerca do atendimento, ainda assim, foi salientado como a humanização é necessária e deve ser colocada em prática.


Palavras-chave


Assistência de Enfermagem; Humanização; Internação Pediátrica

Referências


Bergan C, Santos M.C.O, Bursztyn I. Humanização nos espaços hospitalares pediátricos: a qualidade do espaço construído e sua influência na recuperação da criança hospitalizada. ABDEH. 2004.

Brasil. Política Nacional de Humanização. Biblioteca Virtual em Saúde MS, Brasília, DF. 2013; (1).

Gomes, G.C.; Oliveira, P.K. Vivências da família no hospital durante a internação da criança. Rev Gaúcha Enferm. 2006; 33(4):165-171.

Brasil. Estatuto da Criança e do Adolescente. Ministério da Saúde, Brasília, DF.2008; (3).

Lima F.E.T, Jorge M.S.B, Moreira T.M.M. Humanização hospitalar: satisfação dos profissionais de um hospital pediátrico. Revista Brasileira de Enfermagem: REBEn. 2006 maio/junho;59(3):291-6.

Fiorot, A.C; Pontelli, B.P.B. A criança hospitalizada e a garantia de acesso à educação pela classe hospitalar. Cadernos de Educação: Ensino e Sociedade, São Paulo. 2017; 4(1): 100-113.

Bergan C, et al. Humanização: representações sociais do hospital pediátrico. Revista Gaúcha de Enfermagem. 2009 b, dezembro;30(4):656-61.

Halbwachs, M. A memória coletiva. 2. ed. atual. São Paulo, Brasil: Revista dos Tribunais LTDA, 1990. 189 p..

Brasil. Resolução nº 510, de 7 de abril de 2016. Pesquisas em Ciências Humanas e Sociais. Resolução nº 510, de 7 de abril de 2016, Ministério da Saúde. 7 abr. 2016 e. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/cns/2016/res0510_07_04_2016.html . Acesso em: 2 jun. 2020.

Marques, I.R.; Souza, A.R. Tecnologia e humanização em ambientes intensivos. Rev Bras EnferM, Brasília, DF. Janeiro-fevereiro 2010; 63(1): 141-4.

Brasil. HumanizaSUS: política nacional de humanização – humanização como eixo norteador das práticas de atuação e gestão em todas as esferas do SUS. Brasília, Ministério da Saúde, 2003.

Pessalacia, J.D.R. et al. Atuação da equipe de enfermagem em uti pediátrica: um enfoque na humanização. Revista de Enfermagem do Centro Oeste Mineiro, Minas Gerais, Brasil, setembro/dezembro 2012; 2(3): 410-418.

Ortiz, L.C.M. Classe hospitalar: reflexões sobre suas práxis educativas. Dissertação (Mestrado em Educação), Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, 2002.

Cruz, D.S; Costa, S.F; Nóbrega, M.M. Assistência humanizada à criança hospitalizada. Revista da Rede de Enfermagem do Nordeste, Fortaleza, Brasil, setembro/dezembro 2006; 7(3):98-104.

Miranda, R.L; Begnis, J.G; Carvalho, A.M. Brincar e Humanização: Avaliando um Programa de Suporte na Internação Pediátrica. Revista Interinstitucional de Psicologia, Belo Horizonte, Brasil, 2010; 3(2):160-174.

Pauli, M.C; Bousso, R.S. Crenças que permeiam a humanização da assistência em unidade de terapia intensiva pediátrica. Rev Latino-am Enfermagem, São Paulo, maio-junho 2003; 11(3):280-6.

Alves, C.A; Deslandes, S.F; Mitre, R.M.A. Desafios da humanização no contexto do cuidado da enfermagem pediátrica de média e alta complexidade. Interface: comunicação, saúde, educação, Rio de Janeiro, Brasil, 2009; 13(1):581-94.

Oliveira BRG, et al. Causas de hospitalização no SUS de crianças de zero a quatro anos no Brasil. Rev Bras Epidemiol, Mato Grosso, 2010; 13(2):268-77.

Brasil. Ministério da Educação e do Desporto. Secretaria de Educação Especial. Política Nacional de Educação Especial. Brasília, MEC, SEESP, p. 66, 1994.

Holanda, E. R.; Collet, N. As dificuldades da escolarização da criança com doença crônica no contexto hospitalar. Rev. esc. enferm. USP, São Paulo, 2011; 45(2).


Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Fator de Impacto ISI- International Scientific Indexing

JCR 0.852 (2017-2018)

JCR 1.021 (2018-2019)

JCR 1.254 (2019-2020)

Qualis CAPES: B4

Índice H: 15,0

Índice i10: 29,0

ISSN Online: 2179-0981 / ISSN Impresso: 2316-848X