Cuidado de enfermagem e desafios em saúde mental na estratégia de saúde da família a partir do apoio matricial

Weverton Dantas Santana, Felipe Freire Macedo, Rodrigo Marques da Silva, André Luiz Souza de Jesus

Resumo


Objetivo: avaliar a produção científica sobre o cuidado do enfermeiro em saúde mental na estratégia de saúde da família a partir da implantação do apoio matricial, bem como identificar os desafios ao cuidar em enfermagem nesse setor. Método: Trata-se de uma revisão narrativa da literatura, realizada em novembro de 2020 nas bases de dados: Scientific Electronic Library Online, Literatura Latino-Americana e do Caribe em Ciências da Saúde e Biblioteca Virtual em Saúde, bem como documentos do Ministério da Saúde. Os materiais foram buscados por meio da seguinte estrutura: Saúde Mental; Apoio Matricial; Capacitação de Enfermeiros; Saúde da Família. Incluíram-se artigos da língua portuguesa, nos períodos de 2007 a 2018. Excluíram-se artigos com mais de 15 anos de publicação tendo em vista a atualidade do tema. Resultados: 11 artigos científicos compuseram a amostra da pesquisa. Embora os profissionais enfermeiros tenham reportado estarem preparados para lidar com seus pacientes e conhecerem os principais transtornos, poucos foram capazes de detalhar esses conhecimentos. As capacitações e cursos de residência foram citados como estratégia de preparação, mas a insegurança e tempo disposto para lidar com esses pacientes foram impasses para a qualidade do cuidado prestado. Conclusão: é necessária maior preparação dos enfermeiros na área de saúde mental a fim de se proporcionar um atendimento resolutivo aos pacientes. Os envolvidos reconhecem que a necessidade da auto avaliação dos apoiadores matriciais e enfermeiros, enfatizam o (re) pensamento das práticas instituídas nas políticas públicas e gestão da estratégia matricial de apoio para a saúde mental.


Palavras-chave


Saúde Mental; Apoio Matricial; Capacitação de Enfermeiros; Saúde da Família

Referências


Andrade FB, Bezerra AIC, Pontes ALF, Filha MOF, Vianna RPT, Dias MD, et al. Saúde mental na atenção básica: um estudo epidemiológico baseado em foco de risco. Rev bras enferm. 2009;62(5):675-80.

Veloso TMC, Souza MCBM. Concepções de profissionais da estratégia saúde da família sobre saúde mental. Rev Gaúcha Enferm 2013:79-85

Organização Mundial de Saúde – OMS. Relatório sobre a saúde no mundo 2001. Saúde mental: nova concepção, nova esperança. Suíça: Organização Mundial de Saúde; 2001.

Jorge MSB, Diniz AM, Lima LL, Penha JC. Matrix support, individual therapeutic project and production in mental health care. Texto Contexto Enferm. 2015;24:112-20

Silveira DP, Vieira ALS. Saúde mental e atenção básica em saúde: análise de uma experiência no nível local. Ciênc saúde coletiva. 2009;14(1):139-48.

Castro CP, Oliveira MM, Campos GWS. Matrix Support in the SUS of Campinas: how an inter-professional practice has developed and consolidated in the health network. Ciênc Saúde Coletiva. 2016;21

Caixeta CC, Moreno V. O enfermeiro e as ações de saúde mental nas unidades básicas de saúde. Rev Eletrônica Enferm. 2008

Huller, Carolina et al. Conhecimento dos enfermeiros acerca do apoio matricial na rede de atenção psicossocial. Health Science Institute, São José - SC, p. 115-132, 17 jul. 2018.

Hirata, Marcos et al. A inserção do enfermeiro psiquiátrico na equipe de apoio matricial em saúde mental. Rev. Eletrônica Saúde Mental Álcool Drog., Ribeirão Preto - SP, v. 4, n. 2, p. 89-110, 26 ago. 2008.

Minozzo, Fabiane et al. Apoio matricial em saúde mental entre CAPS e Saúde da Família: trilhando caminhos possíveis. Psico-USP, Itatiba, v. 18, n. 1, p. 56-80, 17 abr. 2013.

Amaral CEM, Torrenté MON, Torrenté M, Moreira CP. Matrix support in Mental Health in primary care: the effects on the understanding and case management of community health workers. Interface 2018;22(66):801-12.

Gomes MS, Mello R. Sobrecarga gerada pelo convívio com o portador de esquizofrenia: enfermagem construindo o cuidado à família. SMAD, Rev. Eletrônica Saúde Mental Álcool Drog 2012

Ribeiro LM, Medeiros SM, Albuquerque JS, Fernandes SMBA. Saúde mental e enfermagem na estratégia saúde da família: como estão atuando os enfermeiros? Rev esc enferm USP 2010

Mielke FB, Kantorski LP, Jardim VMR, Olschowsky A, Machado MS. O cuidado em saúde mental no CAPS no atendimento dos profissionais. Ciênc saúde coletiva. 2009;14(1):159-64.

Chiavagatti FG, Kantorski LP, Willrich JQ, Cortes JM, Jardim VMR, Rodrigues CGSS. Articulação entre Centros de Atenção Psicossocial e Serviços de Atenção Básica de Saúde. Acta paul enferm. 2012;25(1):11-7.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretária de Atenção à Saúde. Saúde Mental e Atenção Básica: o vínculo e o diálogo necessários. Brasília: Ministério da Saúde; 2007.

Bardin L. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70; 2009.

Neves HG, Lucchese R, Munari DB. Saúde mental na atenção primária: necessária constituição de competências. Rev Bras Enferm. 2010;63(4):666-70.

Nunes Filho EP, Bueno JR, Nardi AE. Psiquiatria e Saúde mental: Conceitos Clínicos e Terapêuticos Fundamentais. São Paulo: Atheneu; 2005

Pinto AGA, Jorge MSB. Prática clínica em saúde mental no cotidiano do Centro de Atenção Psicossocial. Cogitare Enferm. 2009;14(2):217-26.

Leão A, Barros S. As representações sociais dos profissionais de saúde mental acerca do modelo de atenção e as possibilidades de inclusão social. Saude soc. 2008;14(1):95-106.

Matos BG, Orichio APC, Mendonça VF. Residência Terapêutica: Um modelo alternativo de atendimento aos pacientes psiquiátricos. R pesq: cuid fundam [Internet]. 2010;2(ed.Suppl.):410-2.

Kantorski LP, Wetzel C, Olschowsky A, Jardim VMR, Coimbra VCC, Schneider JF, et al. Avaliação qualitativa no contexto da reforma psiquiátrica. SMAD, Rev. Eletrônica Saúde Mental Álcool Drog 2010


Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Fator de Impacto ISI- International Scientific Indexing

JCR 0.852 (2017-2018)

JCR 1.021 (2018-2019)

JCR 1.254 (2019-2020)

Qualis CAPES: B4

Índice H: 15,0

Índice i10: 29,0

ISSN Online: 2179-0981 / ISSN Impresso: 2316-848X